Após serem achados em navio cargueiro, nigerianos são presos no MA

Cinco estrangeiros foram presos na tarde de domingo (18) após embarcarem sem autorização em um navio que atracava no Porto do Itaqui, em São Luís. Segundo informações da Polícia Federal (PF), eles foram encaminhados para a Superintendência da PF, no bairro Cohama, na capital.

Segundo a superintendente da Polícia Federal do Maranhão, Cassandra Ferreira, o governo nigeriano será comunicado sobre as prisões ainda nesta semana. “Já foi feito o contato com a Defensoria Pública, estamos aguardando a chegada deles para começar o ato de prisão em flagrante e o governo da Nigéria será comunicado sim”, finalizou.

Durante a primeira tentativa do prático chegar até a embarcação, os clandestinos atiraram objetos para impedir a aproximação. Segundo o delegado da Polícia Federal, Francisco Robério Lima Chaves, os policiais conseguiram chegar até o navio através de um helicóptero, renderam e prenderam os estrangeiros.

“Eles cometeram um crime que é expor perigo a embarcação ou de qualquer forma impedir ou dificultar na navegação marítima. Como eles impediram o prático de entrar, eles impediram o navio de seguir o trâmite normal”, revelou o delegado Francisco Robério Lima Chaves.

De acordo com o capitão da Capitania dos Portos, Márcio Ramalho Dutra, eles teriam entrado na embarcação em Lagos, na Nigéria, no último dia 6 de agosto e foram descobertos pelo resto da tripulação três dias após suspenderem o navio.

“O navio saiu rumo ao seu destino e três dias depois ouviram barulhos na máquina do leme. Quando foram encontrados, os estrangeiros foram encaminhados para o camarote, foram alimentados e bem tratados. Depois que a embarcação chega ao local de destino, a Polícia Federal se encarrega de devolvê-los ao seu país de origem”, explicou Márcio Ramalho.

Ainda de acordo com o capitão da Capitania dos Portos, um procedimento administrativo será aberto para investigar as circunstâncias em que os clandestinos entraram a bordo. Além disso, a tripulação e o comandante darão depoimentos sobre o caso.

Após o caso, o navio ficou retido próximo ao Porto do Itaqui para investigações, mas será abastecido de cobre e seguirá viagem para Porto Huelva, na Espanha.