Disputa nacional contamina debate da RedeTV! para governo de SP

ALX SAO PAULO SP 24/08/2018 POLITICA ELEICOES 2018 / DEBATE / SP/GOVERNADOR POLITICA Os candidatos ao governo de São Paulo Marcio França (PSB), Rodrigo Tavares (PRTB), Paulo Skaf (MDB), Marcelo Candido (PDT), Joao Doria (PSDB), Luiz Marinho (PT) e Professora Lisete Arelaro (PSOL) participam de debate promovido pela RedeTV, na sede da emissora em Osasco neste sexta-feira (24). NA FOTO LUIZ MARINHO E DORIA Foto: ALEX SILVA / ESTADAO

segundo debate na TV entre os candidatos ao governo de São Paulo nas eleições 2018foi contaminado pela disputa nacional e marcado por ironias e embates entre os adversários. No evento realizado na noite desta sexta-feira, 24, pela RedeTV!, os temas do Estado, em diversos momentos, foram coadjuvantes diante das discussões e troca de acusações entre os postulantes ao Palácio dos Bandeirantes.

Participam do debate os candidatos Márcio França (PSB)Paulo Skaf (MDB)Rodrigo Tavares (PRTB)Marcelo Candido (PDT)João Doria (PSDB), Luiz Marinho (PT) e Professora Lisete (PSOL).

Durante pouco mais de duas horas, Doria e Marinho protagonizaram os confrontos mais duros. O candidato do PT escolheu o tema “mulheres” para perguntar ao rival do PSDB, e disse que ele, quando presidiu a Embratur, fez propaganda de mulheres nuas. Em sua resposta, Doria ignorou o questionamento e acusou o partido do rival.

“O seu passado o condena, o meu não. Vocês são responsáveis pela maior taxa de desemprego do País, vocês são responsáveis pela maior recessão do País, vocês cometeram crimes contra o dinheiro público deste país. Só da Petrobrás o seu partido, o PT, roubou R$ 50 bilhões. O que vocês sabem fazer é destruir, roubar e mentir”, disse o tucano, apontando o dedo para Marinho.

A fala de Doria motivou um direito de resposta concedido ao petista, que aproveitou para citar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva – condenado e preso na Lava Jato e registrado como candidato do PT ao Planalto – e o presidenciável tucano, Geraldo Alckmin.

“Esse papo de ficar agredindo o PT não vai funcionar nessa eleição. Isso funcionou em 2016. O povo processou as informações e o povo chegou à conclusão que o presidente Lula é um injustiçado, está preso de forma injusta e que, portanto, essa é a razão de ele liderar todas as pesquisas de opinião, inclusive aqui no Estado de São Paulo, onde o teu padrinho Alckmin está penando na terceira posição e não sobe”, disse o petista. “E não sobe até por contribuição de Vossa Excelência, que prometeu ao povo paulistano que cumpriria os quatro anos rigorosamente de mandato (na Prefeitura de São Paulo) e traiu o povo.”