Exames constatam que estudante caxiense baleado não tem morte cerebral

A equipe médica do Hospital de Urgência de Teresina (HUT) não constatou morte cerebral no estudante Gabriel Brenno Nogueira da Silva Oliveira, 21 anos. O protocolo de investigação da morte encefálica havia sido aberto na noite desta quinta-feira (18), mas foi concluído que o paciente ainda apresenta atividade elétrica cerebral.

Segundo nota enviada pela assessoria do HUT, Gabriel continuará recebendo toda assistência necessária diante do seu quadro de saúde, que permanece gravíssimo. Ele está hemodinamicamente estável e permanece na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), sendo observado 24 horas. O paciente continua entubado e em ventilação mecânica.

Como é feito o protocolo

O protocolo ao qual o estudante foi submetido é composto por três exames: dois clínicos e um de imagem, que são realizados no prazo mínimo de 24 horas após sua abertura. Antes desse prazo, o cérebro de Gabriel deu sinais de atividade.

O protocolo foi aberto após ter findado o prazo de 24 horas da realização da cirurgia.

Internação

Gabriel Brenno deu entrada no HUT às 7h42 do dia 17, vítima de arma de fogo na região da cabeça, próximo a nuca. Imediatamente foi encaminhado para o centro cirúrgico, onde passou por cirurgia neurológica para reparar os danos causados pela bala (drenar o hematoma diminuindo assim a pressão intracraniana).

Investigação

A apuração do atentado ao estudante está sendo feita pelo  1º Distrito Policial. A polícia já tem suspeitos e conseguiu imagens do carro usado no crime. A principal hipótese é de que o motivo tenha sido passional. Gabriel teria se envolvido com uma mulher comprometida e o marido dela é apontado como o principal suspeito.