Netanyahu participará da posse de Bolsonaro, diz embaixada

A embaixada de Israel no Brasil informou nesta terça-feira (18) que o primeiro-ministro do país, Benjamin Netanyahu, participará da posse de Jair Bolsonaro como presidente da República. A posse está marcada para 1º de janeiro, em Brasília.

A previsão, segundo a embaixada, é que o premiê israelense chegue ao Rio de Janeiro no próximo dia 28 e depois viaje para Brasília.

Esta será a primeira vez que um primeiro-ministro de Israel, no exercício do cargo, visitará o Brasil.

Benjamin Netanyahu e Bolsonaro têm afirmado que pretendem fortalecer as relações diplomáticas entre os dois países. O presidente eleito já visitou Israel e repete elogios ao desenvolvimento do país de maneira frequente.

Após ser eleito, Bolsonaro chegou a anunciar a intenção de transferir a embaixada do Brasil em Israel de Tel Aviv para Jerusalém, assim como fez o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Diante da repercussão negativa de países árabes, o presidente eleito afirmou que a decisão não estava tomada e disse que a posição do governo sobre a embaixada será conhecida após a posse.

Entenda a polêmica

A transferência da embaixada para Jerusalém demonstrará que o Brasil reconhece a cidade como capital de Israel.

A medida é polêmica porque os palestinos reivindicam Jerusalém Oriental como capital do futuro Estado. Além disso, a comunidade internacional não reconhece a reivindicação israelense de Jerusalém como capital indivisível.

Bolsonaro, porém, costuma afirmar que o povo de um país tem a prerrogativa de definir onde fica a capital.

Posse presidencial

De acordo com o Ministério das Relações Exteriores, estão confirmados na posse de Bolsonaro:

  • nove chefes de Estado e de governo;
  • dois vice-presidentes;
  • oito chanceleres;
  • dois altos dirigentes de organismos internacionais.

Segundo o jornal “O Globo”, a Casa Branca anunciou que a comitiva do governo dos Estados Unidos na posse será chefiada pelo secretário de Estado, Mike Pompeo.

Com a decisão, o presidente Donaldo Trump e o vice Mike Pence não estarão na solenidade. Na posse do segundo mandato de Dilma Rousseff, em 2015, o então vice-presidente Joe Biden acompanhou a posse.

A definição dos convidados para a posse de Bolsonaro teve um episódio de idas e vindas nos convites para os presidentes da Venezuela, Nicolás Maduro, e de Cuba, Miguel Díaz-Canel.

Segundo o Itamaraty, os dois presidentes foram convidados por orientação do futuro governo, que depois orientou que ambos fossem desconvidados.