Polícia descarta hipótese de latrocínio na morte de motorista de Uber em São Luís

A Polícia Civil anunciou nesta quinta-feira (10) que está trabalhando com duas linhas de investigação no caso do assassinato do motorista de Uber Edmilson Pimenta Azevedo, no domingo (6), em São Luís. A hipótese de latrocínio pelos ocupantes do veículo foi descartada.

A primeira linha de investigação trata o caso como uma briga de trânsito, mas com duas vertentes. A outra linha aponta que um dos ocupantes foi reconhecido pelo motociclista, que teria atirado contra o veículo por acerto de contas.

O delegado da Superintendência de Homicídios e Proteção a Pessoa (SHPP) em São Luís, Clarismar Campos, informou à Rádio Mirante AM que os quatros ocupantes do carro relataram em depoimento que a briga teria partido do próprio motorista, mas a polícia diz que é pouco provável que isso tenha ocorrido.

“Os depoimentos dos ocupantes informaram que o motorista do Uber, em certo momento, efetuou uma ultrapassagem e teria ofendido um motociclista, que o teria perseguido e efetuado os disparos contra o carro e vitimando o motorista. (…) A outra vertente é que os próprios ocupantes do carro – que vinham de uma festa carnavalesca e poderiam ter consumido bebida alcoolica – teriam provocado esse motociclista, que em razão disso efetuou os disparos”

“Nós temos imagens de que, em certo momento da viagem, o motorista e o motociclista ficaram lado a lado. Junto com os depoimentos, isso sugere que essa discussão pode ter acontecido”, declarou o delegado.

Ainda de acordo com o delegado Clarismar Campos, um dos ocupantes do carro foi preso na manhã desta quinta (10) por ter um mandado de prisão em aberto por roubo. Esse fato colabora para a segunda linha de investigação, que trata o caso como um suposto acerto de contas.

“Pelo histórico de prisão por roubo de um dos ocupantes, temos ainda outra linha de investigação. Há a possibilidade desse motociclista ter identificado um dos indivíduos do carro por desafeto. Em razão disso, o motivou a perseguir e efetuar os disparos”, afirmou.

A Polícia Civil também ressaltou que, até o momento, os ocupantes do carro Uber estão no caso como testemunhas, sendo um como vítima porque chegou a ser alvejado. No entanto, haveriam suposições de que um dos ocupantes estaria usando o motorista para cometer assaltos, o que deve ser confirmado ou descartado a partir de informações da Uber sobre todo o trajeto realizado pelo motorista no dia do crime.

Manifestações

Motoristas de aplicativo realizaram carreata no Cohatrac em protesto após assassinato de condutor em São Luís — Foto: Gilmar de LimaMotoristas de aplicativo realizaram carreata no Cohatrac em protesto após assassinato de condutor em São Luís — Foto: Gilmar de Lima

Motoristas de aplicativo realizaram carreata no Cohatrac em protesto após assassinato de condutor em São Luís — Foto: Gilmar de Lima

Nos últimos dias, motoristas de aplicativo se reuniram em diversos pontos de São Luís para protestar por segurança após a morte de Edmilson Azevedo, que foi sepultado na tarde de segunda (7) no cemitério do São Cristóvão, em São Luís. Motoristas chegaram a fazer carreta e paradas no Calhau, Cohatrac, Camboa e Calhau.