PT diz que inquérito para apurar invasão do celular de Moro se tornou ‘armação’ contra o partido

PT divulgou uma nota na noite desta quarta-feira (24) na qual afirmou que o inquérito que apura a atuação de supostos hackers para invadir o celular do ministro Sérgio Moro (Justiça) se tornou uma “armação” contra o partido.

A nota foi divulgada após Ariovaldo Moreira, advogado do DJ Gustavo Henrique Elias Santos, um dos presos pela Polícia Federal, ter dito que o cliente afirmou que a intenção de Walter Delgatti Neto, apontado como o hacker que invadiu os celulares de Moro e outras autoridades, queria vender ao PT as mensagens que obteve.

Ao todo, a PF prendeu quatro suspeitos de envolvimento na invasão do celular de Moro. A operação foi deflagrada nesta terça (23). Segundo o juiz Vallisney de Oliveira, da 10ª Vara da Justiça Federal de Brasília, há “fortes indícios” de que os presos se uniram para violar sigilo telefônico de autoridades.

“O ministro Sergio Moro, responsável pela farsa judicial contra o ex-presidente Lula, comanda agora um inquérito da Polícia Federal com o claro objetivo de produzir mais uma armação contra o PT. As investigações da PF sobre as pessoas presas em São Paulo confirmam a autenticidade das conversas ilegais e escandalosas que Moro tentou desqualificar nas últimas semanas”, diz a nota do partido.

As conversas às quais o partido se refere são os diálogos entre Moro e procuradores da Operação Lava Jato no período em que o ministro ainda era juiz. As conversas foram reveladas pelo The Intercept e, segundo o site, mostram que Moro orientou a atuação da força-tarefa do Ministério Público.

Desde que os diálogos foram revelados, Moro e os procuradores têm negado que houve orientação e afirmado que houve invasão criminosa dos celulares.

“É criminosa a tentativa de envolver o PT num caso em que é Moro que tem de explicar e em que o maior implicado é filiado ao DEM”, diz o partido em um trecho da nota.

A pessoa a quem se refere o PT é Walter Delgatti Neto, apontado como o hacker que invadiu os celulares de Moro. De acordo com o site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ele é filiado ao DEM em Araraquara (SP) e está com a filiação em situação regular.

Íntegra

Leia a íntegra da nota do PT:

Nota do PT: inquérito de Moro é mais uma armação contra o PT

O PT sempre foi alvo desse tipo de farsa, como ocorreu na véspera da eleição presidencial de 1989, quando a PF vestiu camisetas do partido nos sequestradores do empresário Abílio Diniz antes de apresentá-los à imprensa.

O ministro Sergio Moro, responsável pela farsa judicial contra o ex-presidente Lula, comanda agora um inquérito da Polícia Federal com o claro objetivo de produzir mais uma armação contra o PT.

As investigações da PF sobre as pessoas presas em São Paulo confirmam a autenticidade das conversas ilegais e escandalosas que Moro tentou desqualificar nas últimas semanas.

Acuado, o ex-juiz repete seus conhecidos métodos: prisões espetaculares e vazamentos direcionados contra seus adversários. É criminosa a tentativa de envolver o PT num caso em que é Moro que tem de explicar e em que o maior implicado é filiado ao DEM.

O PT sempre foi alvo desse tipo de farsa, como ocorreu na véspera da eleição presidencial de 1989, quando a polícia vestiu camisetas do partido nos sequestradores do empresário Abílio Diniz antes de apresentá-los à imprensa.

O PT tomará as medidas judiciais cabíveis contra os agentes e os responsáveis por mais esta farsa. Quem deve explicações ao país e à Justiça é Sergio Moro, não quem denuncia seus crimes.

Brasília, 24 de julho de 2019

Gleisi Hoffmann, presidenta nacional do PT

Paulo Pimenta, líder do PT na Câmara dos Deputados

Humberto Costa, líder do PT no Senado Federal