Surpreso com convocação, Pablo quer agarrar chance para fazer carreira na Seleção Brasileira

Nascido em São Luís, revelado pelo Ferroviário-CE, campeão brasileiro com o Corinthians em 2017 e convocado para a Seleção Brasileira. Este é um breve histórico do zagueiro Pablo, atualmente no Bordeaux, que foi uma das novidades da última convocação do técnico Tite para os amistosos contra Arábia Saudita e Argentina, nos dias 12 e 16 de outubro.

A convocação foi tão inesperada que até o zagueiro admite a surpresa. Em meio aos sentimentos, Pablo já pensa em como fazer para que essa seja a porta apenas de entrada para a Seleção Brasileira.

Pablo no treino do Bordeaux — Foto: Reprodução do InstagramPablo no treino do Bordeaux — Foto: Reprodução do Instagram

Pablo no treino do Bordeaux — Foto: Reprodução do Instagram

– Foi bem surpreendente mesmo. Surpreendente pelo meu trabalho, por tudo que tenho feito, desde o Coritinhians e aqui no Bordeaux. A gente acredita, sempre almejando coisas boas, mas foi surpreedente porque não esperava. Ninguém falava nada sobre isso. Na época do Corinthians chegaram a falar um pouco sobre isso, mas agora nem se falava. Foi muito surpreendente. Uma surpresa muito boa e de uma forma que faz eu saber que estou no caminho certo. Vou continuar trabalhando para manter uma regularidade e permanecer na Seleção Brasileira, que é o mais importante.

Além da primeira oportunidade na Seleção, a convocação de Pablo é especial para o defensor pelo fato de marcar a volta de um maranhense após sete anos às listas de convocáveis. A última vez que isso ocorreu foi com o atacante Elkeson, que defendia o Botafogo em 2011 e foi convocado para o Superclássico das Américas.

Vale lembrar que na época, a Seleção Brasileira convocado para o desafio contra a Argentina contava apenas com jogadores atuando no país. Considerando convocações sem restrições, o meia Jackson foi o último maranhense presente na Seleção, quando foi chamado em 1998 para três amistosos.

– Me sinto muito honrado por ser um mararanhense convocado depois de muitos anos anos. Fico feliz por levar o nome do nosso Estado e de São Luís para o mundo. Espero que deixe marcado na história e para isso vou trabalhar e me dedicar muito – disse o defensor.

Na carreira do zagueiro, a convocação chega após um ano repleto de conquistas. Em 2017, foi campeão Paulista e Brasileiro com o Corinthians, apesar de ser afastado na reta final do campeonato por causa das negociações para renovar o empréstimo. Hoje, de volta ao Bordeaux, o defensor reforça que fez todo o possível para permanecer no clube paulista e agradece ao período que o ajudou a reconquistar o espaço no clube francês.

– Foi um ano de duas conquistas e com prêmios individuais, isso significa que estou no caminho certo. Creio que não faria nada de diferente, porque naquele momento pensava em permanecer no Brasil e no Corinthians. Fiz tudo que foi possível, mas infelizmente não deu certo. Acredito que as coisas acontecem da melhor maneira possível. Foi ruim ter que deixar o meu país e um grande clube, mas foi bom voltar ao Bordeaux de uma maneira diferente, mostrando todo meu potencial e a qualidade que eu tinha e não pude mostrar antes.

Antes de chegar ao Corinthians em 2017, Pablo teve participação discreta na temporada 2015-16 pelo clube francês e chegou a ser relacionado apenas no time B. Após o título brasileiro, o zagueiro voltou a aparecer entre os titulares no segundo turno do Campeonato Francês 2017-18 e se firmou na equipe. No início da temporada 2018-19, enfrentou uma pequena lesão, mas garante que já está recuperado e esteve em campo no triunfo por 3 a 1 diante do Guingamp no último domingo.

– Não foi nada grave, foi uma lesão apenas de descanso e fiquei um jogo de fora. Já estou jogando e não foi nada que atrapalhe.

Pablo durante sua passagem no Avaí — Foto: Jamira Furlani/Avaí FCPablo durante sua passagem no Avaí — Foto: Jamira Furlani/Avaí FC

Pablo durante sua passagem no Avaí — Foto: Jamira Furlani/Avaí FC

Apesar do destaque nacional chegar quando defendeu o Corinthians, a carreira de Pablo começou no Nordeste, defendendo o Ferroviário-CE. Natural de São Luís, o defensor teve apenas passagens por escolinhas no Maranhão.

– Nunca cheguei a jogar profissionalmente no Maranhão, somente em escolinhas, como a Novos Talentos, se não me engano em 2004 ou 2005. Eu treinava e tinha todo o trabalho de base. Fui revelado pelo Ferroviário em 2007 e depois fui para o Ceará, onde apareci com as primeiras chances – explica o defensor.

No futebol cearense, além do Ferroviário-CE e Ceará, Pablo teve uma breve passagem pelo Quixadá e em 2012 chegou ao Grêmio, onde não foi aproveitado. Em 2013 seguiu para o Avaí, até virar um dos titulares do time em 2014 e na temporada seguinte seguir para a Ponte Preta. As boas atuações naquela temporada lhe renderam a transferência para o Bordeaux, por aproximadamente € 2mi (R$ 8mi na cotação da época).